Produtividade é um assunto que ronda as reuniões de planejamento e resultados das empresas de todos os setores da economia. Medir e melhorar a produtividade são desafios de líderes, empresas e governos no Brasil e no mundo.

Porém para nós brasileiros esse assunto possui uma importância ainda maior comparando com outros países. Enquanto em países desenvolvidos o aumento da produtividade é visto como uma oportunidade de aumento de rentabilidade e competitividade, no Brasil, a produtividade ainda é um problema grave. Nossos índices estão bem abaixo do ideal e isso gera uma série de problemas que precisam ser corrigidos a fim de nos tornarmos competitivos.

Vamos tratar neste artigo o que causa a nossa baixa produtividade e algumas soluções que podem ser aplicadas pelas empresas para começar a mudar essa situação.

Como anda a produtividade do trabalhador no Brasil

Como comentamos, a discussão sobre a produtividade do trabalhador brasileiro não é algo novo nas reuniões de diretoria.

A verdade é que se olharmos diretamente para os números vamos ver que este incômodo que sentimos tem bases bem sólidas.

Calculados por uma fórmula direta que divide todo o PIB de um país pelos seus trabalhadores obtendo assim a produção per capita, há muito tempo nossos números não têm sido motivos de comemoração.

Com uma medição feita pelo Conference Board que avalia o tema em uma escala mundial, trazendo dados de novembro de 2016 nossa produtividade não passou de um quarto do que um trabalhador dos Estados Unidos.

Se comparar nações tão diferentes pode não “ser justo”, mas a situação também não é favorável quando olhamos para os nossos vizinhos. De uma maneira geral, só estamos à frente de Peru, Bolívia e Equador.

Saindo então do mundo das sensações, observações e especulações, temos então a confirmação de que a produtividade do trabalhador brasileiro é mesmo pífia.

O que explica a nossa realidade

Diante deste panorama, restam duas coisas a se fazer: entender os motivos para que tenhamos tão pouco rendimento, e encontrar saídas para esta situação.

Como pode imaginar, a situação da baixa produtividade do brasileiro não causada por uma ou duas situações, mas uma série de problemas somados fazem com que estejamos neste cenário.

O Brasil é um país que demanda ainda muito em investimento de infraestrutura. Nossas rodovias, ferrovias e portos por exemplo causam uma queda enorme na produtividade, uma vez que o custo de escoamento da produção gerada em nosso território nacional é onerado pelas más condições destas vias.

Além da carência de infraestrutura que é um problema a ser resolvido a médio e longo prazo, os altos impostos e a burocracia imposta pelo governo também são um fator apurado pelas empresas nacionais como fortes causadoras da baixa produtividade no Brasil. Tudo o que torna nosso processo mais caro e mais moroso soma para a baixa produtividade.

Outro fator histórico apontado pelos estudos de produtividade no Brasil é relacionado a baixa qualificação de mão de obra. Com menos quantidade e qualidade de estudo, o profissional brasileiro atua no mercado de trabalho com pouca instrução. Empresas vem buscando ainda de forma lenta, o investimento no ensino para a mão de obra que entra nas empresas com um déficit de conhecimento vindo das escolas e cursos públicos.

Isso sem falar no alto custo financeiro e principalmente no tempo e energia gastos nos processos de recrutamento e seleção. Que você também já deve conhecer bem.

Outra queixa de alguns empresários é a grande dificuldade de acesso a tecnologias e soluções de trabalhos mais nobres. Sendo o custo de funcionamento das operações mais caras, as atuais ferramentas de trabalho acabam sucateadas e a busca por opções mais suportáveis pelos investimentos corporativos acabam sendo mais difíceis.

Neste ponto, mesmo que não tivéssemos a capacitação como um problema grave, como é possível exigir que o trabalhador que utiliza uma tecnologia mais obsoleta e frágil no campo ou no escritório tenha o mesmo desempenho de outro que consegue acessar soluções avançadas, inovadoras e robustas?

Soluções

Diante de todo este cenário complexo e cheio de variáveis externas pelas quais a pressão popular e do setor privado ainda parecem ser as únicas soluções, existe o que ser feito do lado de dentro da sua empresa para garantir melhores resultados.

Para preencher o espaço de tecnologias desenvolvidas existem soluções de gestão que desburocratizam o serviço, ajudam na gestão estratégica e conseguem trazer um retorno financeiro bastante interessante frente aos investimentos necessários.

Um recente estudo realizado pela Fundação Dom Cabral a respeito da produtividade em nosso país, indica que “investimentos em novas tecnologias e na adequação da estratégia de crescimento são determinantes relevantes da produtividade”.

O documento ainda aponta que “a adoção de políticas de investimentos e desenvolvimento para a inovação seriam bem-vindos e contribuiriam para o aumento da produtividade”.

Sendo assim, não podendo contar com a resolução de todos os outros aspectos que rondam o nosso macroambiente, o melhor que você tem a fazer para garantir que a produtividade do trabalhador da sua empresa aumente é buscar ferramentas de tecnologia voltadas para o seu negócio.

Se buscar a transformação de processos aprimorando a automação de coleta de dados e o gerenciamento deles, verá que é possível ter um aumento de eficiência real no seu negócio.

Caso queira saber melhor como fazer isso, descobrir as ferramentas certas e como utilizá-las, siga-nos no FacebookLinkedInTwitter YouTube. Vamos te mostrar como é possível transformar processos em resultados.

Banner Planilha ROI SIMOVA - concessionariasPowered by Rock Convert